Estudante patriota é a dor de cabeça da esquerda na UFTM em Uberaba: “Pela Liberdade e Conservadorismo!”

1260
Reprodução: Google.

As Universidades federais não são locais onde a liberdade de expressão é bem-vinda, especialmente nos Cursos, Institutos ou Faculdades de Humanas. Cada um é livre para se expressar, desde que esteja de acordo com o pensamento único reinante nesses locais. Apresentar-se como cristão, conservador ou liberal tornou-se nos últimos anos em uma garantia de assédio e perseguição por parte de progressistas raivosos e intolerantes.

Daí a importância dos grupos que lutam pela liberdade nas federais e contra o pensamento único, como a UFTM Livre, liderada pelo estudante Vitor von Silva em Uberaba-MG e com atuação também em Iturama-MG. Entre outras atividades, o grupo é o responsável pelas denúncias envolvendo possíveis irregularidades na representação estudantil, que resultou na suspensão de 4 estudantes do Conselho Universitário em 2019.

“O grupo que nomeou os 4 estudantes para o Consu era de progressistas. Levam na razão social o nome da guerrilheira comunista “Walkiria Afonso da Costa”, que recrutava jovens no Triângulo Mineiro e levava para o Araguaia durante a Guerra Fria no Brasil. Os estudantes dos cursos técnicos e das pós-graduações também tinham direito de participar do Conselho, mas queriam nomear apenas membros da graduação que eram próximos a eles. Isso chamou a atenção do UFTM Livre. Notamos que o grupo que se dizia DCE-UFTM não seguia as diretrizes do Estatuto que está registrado em cartório. Denunciamos, pedimos a suspensão dos 4 e solicitamos novas votações com participação democrática garantida a todos os estudantes da universidade.” (Victor von Silva – Liderança do UFTM Livre)

O estado de depredação da sede do Diretório Central dos Estudantes, imóvel que é patrimônio da UFTM, mas estava cedido aos estudantes do DCE e infelizmente acabou completamente inabitável (Foto1), também foi um assunto que virou denúncia do UFTM Livre.”

“Quem passava na frente da casa sentira um cheiro insuportável vindo de lá dentro, parecia que algum animal morto estava lá dentro. Nós denunciamos e o imóvel foi retirado deles.” (Victor von Silva – Liderança do UFTM Livre)”

Além da presença firme nas análises desses processos administrativos, o UFTM Livre também realizou atos históricos de contraposições ao discurso marxista dentro da Federal. Desde o seu início, os primeiros membros se colocaram contra todas as intensões dos movimentos revolucionários progressistas que sondavam os diretórios acadêmicos e o DCE. O confronto direto às deliberações “Greves de Alunos”, entre 2014 e 2016, marcaram o início do UFTM Livre, de acordo com nota no facebook do movimento.

“Os membros do UFTM Livre que me antecederam tiveram coragem de começar a mudança na forma de enxergar a vida acadêmica na universidade. Eles têm meu respeito e minha gratidão, porque não é fácil ser oposição ao comunismo num ambiente onde Karl Marx e Paulo Freire são sementes para pedagogias e atos políticos. O que eu poderia fazer, para retribuir essa gratidão, senão continuar o que eles começaram lá atrás? Já fizemos mais seis eventos de cunho libertário e conservador dentro da Federal de Uberaba, na labuta, aos trancos e barrancos, contra perseguições e até mesmo contra ameaças veladas, como foi no dia que transmitimos o Filme do Brasil Paralelo que falava sobre a Ditadura no Brasil e membros do PCO – Partido da Causa Operária nos ameaçaram. Tudo o que faço nesse sentido é pela liberdade e conservadorismo!” (Vitor von Silva – Liderança do UFTM Livre)”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui